04 setembro 2007

Nota da Editora Abril sobre o discurso em Plenário do Senador Renan Calheiros

"A Abril lamenta profundamente que o Senado Federal - uma casa que sempre atua com dignidade em momentos importantes da História do Brasil - tenha sido usado como palco para o deplorável espetáculo do atual presidente da Casa, que continua tomando atitudes que violam o decoro parlamentar, segundo um número expressivo de seus pares", acrescenta.

O presidente do Senado disse que a transferência do controle societário da TVA e outras duas operadoras para um grupo estrangeiro não foi a primeira vez, segundo ele, que a Editora Abril tentou fraudar a lei brasileira. Ele afirmou que a revista "precisa urgentemente publicar a venda das ações da Editora Abril para a empresa sul-africana Naspers, conglomerado de comunicação racista que sustentou o apartheid na África do Sul".

Citando a reportagem posteriormente reproduzida em Plenário, Renan relatou que a Nasper tem no Brasil, "apenas no papel", uma empresa chamada MIH Brasil Participações, que funciona na Holanda. O presidente do Senado antecipou o que depois traria a reportagem, informando que o endereço da empresa é fictício e seu registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) pertence à empresa Curandéia Participações Ltda., a qual, segundo ele, "também não tem sede, não tem funcionários" e apresentou endereços falsos.

A Abril garante que são "absolutamente improcedentes e infundadas" as acusações de irregularidades sobre a parceria com o grupo sul-africano Naspers. "A Abril respeita escrupulosamente o princípio da legalidade e o aplica rigorosamente a todas as suas empresas, publicações, ações e políticas"

Nenhum comentário: