22 maio 2009

Nota: resposta do Governo do Paraná à jornalista Lúcia Hipólito

“Uma das premissas básicas do jornalismo é a busca do fato, da verdade. Para além disso, tudo o mais é especular, é ecoar o diz-que-diz, é propagar irresponsavelmente o “ouvir dizer”.

Lamentavelmente, foi isso que fez a jornalista Lúcia Hipólito, no programa “Estúdio i”, na edição desta quinta-feira, 21 de maio, ao afirmar que um avião do Governo do Paraná transportou no último dia 10 o deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho a São Paulo, após o parlamentar se envolver num acidente de trânsito em Curitiba que matou duas pessoas.

É mentira. E Lúcia Hipólito, irresponsavelmente, sem checar a informação que recebeu, ecoou a mentira. Fez mais, ainda — com base em informação errada, mal apurada, sentiu-se no direito de espinafrar o governador do Paraná, de dizer que ele “passou a mão na cabeça de um homicida”.

É aterrador, repugnante, que Lúcia Hipólito, funcionária da maior rede de comunicação do País, para quem comenta em telejornais, emissoras de rádio, jornais e revistas, sinta-se de tal forma acima das leis para cometer crime de calúnia em rede nacional de televisão. Pois, tivesse cumprido a regra de ouro do jornalismo — apurar exaustivamente, ter certeza da veracidade de qualquer informação antes de torná-la pública —, jamais poderia ter dito o que disse.

De que prerrogativa pode lançar mão uma jornalista para acusar sem provas — e nem poderia haver provas, posto que a informação em que ela se baseia é falsa — uma pessoa de “passar a mão na cabeça de um homicida”? É essa pergunta que deixamos, aqui, publicamente, a Lúcia Hipólito. E gostaríamos de ver nessa resposta a mesma indignação que ela mostrou, ao vivo, em rede nacional, para lançar acusações que não encontram qualquer eco na realidade.

Aos fatos — o Governo do Paraná possui um único jato, um Citation, prefixo PP-EIF. Essa aeronave decolou no domingo, 10 de maio, com destino a Jundiaí, interior de São Paulo, onde passou por manutenção periódica realizada no hangar da TAM. De lá, o avião retornou a terça-feira (12) a Curitiba. A partir disso, especulou-se, sem base em fatos, que o avião teria transportado o deputado. Os planos de voo, registrados na Anac, comprovam que o avião decolou do Aeroporto do Bacacheri, em Curitiba, e pousou em Jundiaí. Tudo o mais é especulação.

Que jornais e jornalistas de província se aproveitem de uma tragédia que comoveu a todo o País para achincalhar o Governo do Paraná não mais nos surpreende. Mas que uma emissora de alcance nacional e com a estrutura da Globonews veicule tal boato, travestido de notícia, e convoque sua principal comentarista política para lançar acusações e fazer julgamentos com base em rigorosamente nada, isso nos deixa estupefatos e indignados.

Assim, com o intuito de que a verdade seja contada aos telespectadores que confiaram nas palavras solenes, acusadoras e mentirosas de Lúcia Hipólito, é que requisitamos que a emissora retrate-se do erro e torne público o fato, a notícia correta."
Atenciosamente
Governo do Paraná
Secretaria da Comunicação Social

Nenhum comentário: