06 setembro 2009

Monte seu comitê da campanha “O Petróleo Tem que Ser Nosso”

[Passo-a-passo para montar o comitê da campanha do petróleo]

"A Campanha O Petróleo Tem que Ser Nosso! já é uma realidade no cenário político do país. Depois de ganhar visibilidade e o apoio de diversos movimentos sociais, entidades, partidos políticos e diferentes segmentos da sociedade, a Campanha está pronta para decolar e se materializar no dia-a-dia das lutas dos brasileiros, ampliando seu campo de ação para cada bairro, escola, associação, local de trabalho e muitos outros. Para isso, é preciso que a disposição de luta de cada integrante da Campanha se concretize através da criação de seus comitês, que são o principal instrumento para fortalecê-la e ampliá-la. Essa consciência sobre o papel fundamental dos comitês vem crescendo entre os apoiadores da Campanha. O resultado é que a demanda por orientações para sua criação não pára de crescer. Por isso, apresentamos, abaixo, os principais passos para a formação dos comitês da Campanha O Petróleo Tem que Ser Nosso! Mãos à obra!

* Os comitês da Campanha O Petróleo Tem Que Ser Nosso podem ser municipais ou zonais, dependendo da especificidade de cada local.

1º passo: realizar uma reunião na região do futuro comitê para criá-lo. Essa reunião deve envolver os interessados em impulsionar a Campanha naquele local e organizar a distribuição do kit de materiais para o futuro comitê.

2º passo: contactar a comitê operativo do Fórum contra a Privatização do Petróleo e Gás do Rio (Sindipetro-RJ [3852-0148] ou Agência Petroleira de Notícias [Fátima Lacerda - 9949-1843, João Leal - 9963-3670, Valdeci Bastos - 9110-9008 ou Rafael 7866-2630]) informando a data da reunião para receber auxílio na atividade, agendamento da criação do comitê e encaminhamento dos materiais da campanha.

3º passo: contatar pessoas e movimentos da região interessados em ingressar na Campanha, assim como divulgar a criação do comitê para o conjunto da população local.

4º passo: a partir da criação do comitê, organizar como primeira atividade a exibição com debate do documentário O Petróleo Tem que Ser Nosso – Última Fronteira (sugestão da Campanha para primeira atividade do comitê). Esse debate deve apresentar o projeto de lei do movimento social para tratar do petróleo brasileiro, diferenciando-o da proposta do Governo Federal e do atual modelo entreguista.
5º passo: cada comitê deve indicar três representantes para interlocução com a coordenação estadual da campanha O Petróleo Tem que Ser Nosso.

6º passo: discutir nas reuniões propostas para a realização de atividades do comitê, como debates em escolas, panfletagens em locais movimentados, coletas de assinaturas pelo projeto de lei do petróleo dos movimentos sociais, entre outras idéias. É importante que o comitê tenha uma constância de atividades. A realização de audiências públicas nas Assembléias Legislativas e nas Câmaras de Vereadores, assim como a aprovação nessas casas legislativas de moções de apoio à campanha e ao projeto de lei "O Petróleo Tem que Ser Nosso", são ações muito importantes.

7º passo: manter estreito diálogo com a coordenação estadual da campanha para saber das novidades no cenário geopolítico do petróleo, das mobilizações e orientações estaduais e nacionais.

8º passo: ter sempre em mente a ampliação da campanha O Petróleo Tem que Ser Nosso. Convidar sempre novas pessoas, entidades e movimentos para participar dessa luta. Insistir com aqueles que já foram convidados mas ainda não compareceram.

9º passo: registro das atividades. Fotografe, filme, escreva sobre as reuniões, panfletagens e atividades em geral do comitê. Registrar as ações da campanha é muito importante para documentação histórica e para que todo mundo saiba que a luta em defesa do petróleo está existindo no Brasil inteiro. Mande as fotos e matérias para serem disponibilizadas na página da campanha.

10º passo: mantenha-se sempre informado pela página da Agência Petroleira de Notícias ou ligando para o comitê estadual da campanha O Petróleo Tem que Ser Nosso (Sindipetro-RJ [3852-0148] ou Agência Petroleira de Notícias [Fátima Lacerda - 9949-1843, João Leal - 9963-3670, Valdeci Bastos - 9110-9008 ou Rafael 7866-2630]). Acesse: www.apn.org.br"

Nenhum comentário: